quarta-feira, 17 de agosto de 2011

“E Não Mais”

Ah! aaaa (4x)
O meu vale sempre foi
Mais baixo que você imaginou
Os desvios dos meus pés
Levaram-me aos desconcertos
E inspiraram os meus escravos
A correrem contra o sistema falho
Desencorajado, apavorado
Ooooh!...

E não se fala mais
E não se come mais
E não se escreve mais
Nada sobre o que eu já pude ver
E não se fala mais
E não se come mais
E não se escreve mais
Nada sobre o que eu já pude ver
Vê (6x)

Os meus pés já gritam
“Não aguentamos mais”
A jornada não acaba jamais
Pra onde eu vou
Vou (3x)
O furto do sol me aprofundou
Nada me aquece mais
O provérbio ainda não foi intendido
A palavra continuou para trás

Ooooh!... (2x)

E não se fala mais
E não se come mais
E não se escreve mais
Nada sobre o que eu já pude ver
E não se fala mais
E não se come mais
E não se escreve mais
Nada sobre o que eu já pude ver
Vê (6x)

Eu não falo mais
Eu não como mais
Eu não escrevo mais
Agora eu quero apenas ver
Eu não falo mais
Eu não como mais
Eu não escrevo mais
Agora eu quero apenas ver

Ooooh!... (2x)

E não se fala mais
E não se come mais
E não se escreve mais
Nada sobre o que eu já pude ver
E não se fala mais
E não se come mais
E não se escreve mais
Nada sobre o que eu já pude ver

Nenhum comentário:

Postar um comentário